Ghosn, da Nissan, segue como executivo mais bem pago do Japão

O presidente-executivo da Nissan, Carlos Ghosn, afirmou nesta terça-feira a acionistas que recebeu 987 milhões de ienes (12,5 milhões de dólares) entre salários e bônus no último ano fiscal, o que faz dele o executivo mais bem pago no Japão.

REUTERS

26 de junho de 2012 | 08h49

Ghosn tem liderado a Nissan desde 2001 e comandou a montadora durante o turbulento ano de 2011, que viu a Nissan se recuperar mais rapidamente que as rivais Toyota e Honda ante as interrupções de produção causadas pelo terremoto e tsunami que atingiram o Japão.

O total para o ano terminado em março de 2012, com alta de 0,5 por cento sobre um ano anterior, não inclui opções de ações concedidas a Ghosn, que a montadora japonesa vai divulgar ainda nesta semana, nem a remuneração como chefe da parceira da Nissan, a Renault.

A Nissan informou que o pagamento médio de um presidente-executivo de companhia industrial que usou como referência foi de 16,1 milhões de dólares, enquanto a média de pagamento de um presidente-executivo na indústria global de veículos é de 17,5 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSNISSANGHOSN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.