Adam Glanzman/Bloomberg
Adam Glanzman/Bloomberg

Gigante dos aparelhos de ginástica dos EUA pode ser disputada por Amazon e Nike

Desde sexta-feira, quando notícia sobre venda da Peloton começou a circular, ações da companhia já subiram 30%

Reuters, O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2022 | 19h17

 A Peloton, nova febre dos aparelhos de ginástica nos Estados Unidos, está atraindo o interesse de pesos-pesados no país: a empresa, que cresceu com base na busca por aparelhos para a casa durante a pandemia, pode ser disputada não só pela Amazon, mas também pela Nike. 

As ações da Peloton subiram 30% desde o fechamento do mercado, na sexta-feira, após gestora de investimentos alternativos Blackwells Capital estimular o conselho da empresa a colocá-la à venda.

Segundo fontes, a Amazon avalia fazer uma oferta pela Peloton e está conversando com assessores sobre como proceder. A Peloton, porém, ainda não teria se decidido se vai mesmo buscar um novo sócio.

O jornal Financial Times informou que a Nike também está avaliando uma oferta pela Peloton, citando pessoas a par do assunto, que disseram que as considerações são preliminares e que a Nike não conversou com a empresa.

As vendas da Peloton subiram com a pandemia, mas sua sorte mudou à medida que as vacinações avançaram, as academias reabriram e os rivais passaram a oferecer produtos de preços competitivos.

Em novembro, a empresa deu a entender que a demanda por suas bicicletas ergométricas e esteiras estava diminuindo mais rápido do que o esperado, e seu valor de mercado encolheu para cerca de US$ 8 bilhões, após um pico de US$ 52 bilhões no início de 2021.

Nos últimos tempos, a Peloton tentou contornar a crise com a redução de preços e o aumento dos gastos com publicidade, mas o ponteiro das vendas não se movimentou de forma positiva. 

SOB PRESSÃO

Diante disso, na semana passada a Blackwells Capital convocou o conselho da Peloton para remover o presidente John Foley, acusando-o de fechar acordos que geraram altos custos fixos e de esconder a necessidade de o negócio buscar dinheiro novo.

A empresa de investimentos também incentivou o conselho a colocar a Peloton à venda imediatamente, sugerindo Disney, Apple, Sony ou Nike como possíveis compradores.

Tudo o que sabemos sobre:
NikeAmazonPeloton

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.