GM faz nova oferta a credores antes de concordata

A General Motors e o Tesouro dos Estados Unidos fizeram uma proposta melhorada de troca de dívida por ações a credores detentores de 27 bilhões de dólares em dívidas da companhia para abrir caminho para um rápido processo de concordata para a montadora.

REUTERS

28 de maio de 2009 | 11h42

Sob o acordo proposto, que a GM informou que foi apoiado por credores que representam cerca de 20 por cento de sua dívida, os detentores de bônus receberão 10 por cento da companhia reorganizada e receberão garantias para compra de outros 15 por cento.

Em troca do pagamento melhorado, os credores decidirão não se opor à iniciativa de vender ativos lucrativos da GM para uma nova companhia fundada pelo governo dos EUA em um rápido processo de concordata.

A oferta de troca de dívida por ação será aberta à detentores de bônus até sábado, de acordo com a montadora.

O Tesouro dos EUA ganhará 72,5 por cento da nova GM resultante do processo de concordata, enquanto a empresa filiada ao grupo sindical United Auto Workers ficará com 17,5 por cento, informou a GM.

(Reportagem de Kevin Krolicki)

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSGMACORDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.