GM prorroga PDV em São José dos Campos

A General Motors do Brasil anunciou nesta segunda-feira, 09, a prorrogação, até sexta-feira, 13, do Programa de Demissões Voluntária (PDV) para os 750 funcionários da linha de montagem do Classic, em São José dos Campos (SP), que terminaria na sexta-feira passada. O PDV prevê, além de todas as verbas rescisórias, a prorrogação das indenizações até 31 de dezembro, como, por exemplo, 13º salário e participação nos lucros, bem como a manutenção do seguro de saúde até abril de 2014 aos que aceitarem o programa .

GUSTAVO PORTO, Agencia Estado

09 de setembro de 2013 | 16h48

A GM não informou quantos funcionários aderiram ao PDV até agora, mas, segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, Antonio Ferreira de Barros, o Macapá, a adesão ao programa teria sido "baixíssima".

A montadora anunciou ainda a retomada da produção do modelo Classic a partir desta segunda-feira em um volume bem menor que os 150 veículos por dia fabricados até dia 16 de agosto, quando decidira antecipar o fim da produção do Classic na cidade, previsto para dezembro.

Após a pressão dos sindicalistas, no dia 23 de agosto a GM anunciou o retorno da produção do Classic até o final do ano. Informou, ainda, que utilizaria na linha de montagem ou deixaria em licença remunerada até dezembro os funcionários que não aceitassem o PDV. Assim como não divulgou o número de demissionários, a GM e o sindicato não informaram quantas pessoas trabalham ou ainda estão em licença remunerada na unidade.

A GM ratificou que a decisão de fechar a linha de montagem em São José dos Campos ocorre porque os custos de produção e trabalhistas são os maiores da América do Sul e informou também que a produção do modelo seguirá em São Caetano do Sul e na Argentina.

Tudo o que sabemos sobre:
GMPDV

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.