GM vai efetivar 800 trabalhadores em SP, diz sindicato

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP) e região informou hoje que a montadora General Motors (GM) vai efetivar 800 trabalhadores que estavam atuando com contratos por tempo determinado, da área de produção, em São José dos Campos (SP). Segundo a entidade, a efetivação faz parte do Plano de Equiparação Salarial assinado entre a montadora e o sindicato e que foi aprovado em assembleias hoje.

AE, Agencia Estado

21 de julho de 2011 | 15h05

As contratações serão divididas em dois grupos. O primeiro será contratado em agosto e é composto de cerca de 350 trabalhadores das áreas de kits de exportação (CKD) e manuseio. Os demais pertencem a diferentes setores e serão efetivados de acordo com o vencimento dos atuais contratos.

O sindicato informa ainda que além das contratações, o plano também prevê aumento do piso e do teto salarial nas áreas de manuseio, CKD e para os operadores de empilhadeiras. Haverá ainda um ajuste nos salários e os trabalhadores passarão a ter reajustes periódicos, conforme tabela salarial.

"Os reajustes serão aplicados de acordo com a área e o tempo de serviço de cada trabalhador, com variações entre 35,5% a 75,83%, e beneficiarão cerca de mil funcionários", informa.

Conforme a entidade, a fábrica de São José dos Campos possui cerca de 9 mil trabalhadores e produz os modelos Corsa, Meriva, Classic, Zafira, S10, Blazer e kits desmontados para exportação, além de motores e transmissões.

Campanha

Os metalúrgicos de São José dos Campos e região iniciam neste sábado, às 10 horas, a campanha salarial de 2011. Os trabalhadores irão votar, em assembleia geral, a pauta de reivindicações da categoria, que tem como data-base os meses de agosto e setembro. O sindicato, filiado à CSP-Conlutas, tem em sua base cerca de 40 mil trabalhadores e mais de 900 empresas, entre elas a General Motors, Embraer, Panasonic, Gerdau e Hitachi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.