Gol: novos cortes na oferta podem ser feitos em 2014

O presidente da Gol, Paulo Sérgio Kakinoff, disse nesta quinta-feira que novos cortes na oferta podem ser feitos em 2014. "Precisaríamos verificar qual será o patamar de estabilização para definir possíveis novas medidas de adequação do tamanho da nossa malha", disse. Kakinoff afirmou que cada rota tem custos diferentes e, portanto, o impacto do dólar é diferente na margem operacional de cada uma. "Isso pode fazer com que determinados voos, destinos ou frequências possam se tornar não sustentáveis no novo patamar", disse.

LUCIANA COLLET, Agencia Estado

22 de agosto de 2013 | 17h52

Perguntado sobre se a companhia já havia sentido algum impacto na demanda por voos internacionais por causa do atual patamar do câmbio, ele disse que só terá maior clareza entre janeiro e fevereiro, quando terão finalizado as vendas para a alta temporada. "Quem está comprando neste momento é para voos no fim do ano, quando há alta temporada. Por isso, ainda não foi possível sentir em toda a dimensão o impacto do dólar, a sensibilidade maior deverá ser sentida após fim do ano, em janeiro ou fevereiro do ano que vem", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
GolKakinoff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.