Gol reduz previsão de margem operacional para 2011

A Gol anunciou na noite desta quinta-feira que reduziu sua previsão de margem operacional para 2011, uma vez que custos maiores de combustíveis e despesas com investimentos em pessoal devem impactar o lucro.

REUTERS

28 de julho de 2011 | 21h50

Em comunicado ao mercado, a Gol afirmou que estava diminuindo sua projeção para o lucro antes de juros e impostos (Ebit, na sigla em inglês), ou margem operacional, de uma faixa de 6,5 e 10 por cento para 1 e 4 por cento.

Embora tenha elevado sua previsão de crescimento da demanda doméstica de 10 a 15 por cento para 12 a 18 por cento, a expansão na oferta de assentos no mercado cresceu 14,4 por cento no primeiro semestre do ano.

"A companhia adotou uma estratégia prudente em termos de adição de capacidade", afirmou a empresa no documento.

A Gol disse que seus números revisados para 2011 levaram em conta os preços mais elevados dos combustíveis, que responderam por 40 por cento do total de custos da companhia nos primeiros seis meses do ano.

A companhia também citou custos adicionais com a contratação de 395 copilotos em fase de treinamento para garantir os planos futuros de crescimento sustentável.

A Gol também irá encerrar suas operações de voos fretados com as seis aeronaves Boeing 767, e a devolução antecipada de três aviões desse modelo acarretou despesas adicionais.

Na quinta-feira, a ação da Gol fechou em queda de 1,5 por cento, a 15,31 reais. O Ibovespa, que reúne as principais ações brasileiras, subiu 0,72 por cento.

(Reportagem de Reese Ewing)

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASGOLPROJECOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.