Google desiste de tornar Nexus One compatível

O Google desistiu de um plano para tornar seu smartphone, o Nexus One, compatível com a rede da Verizon Wireless, maior operadora de celulares dos EUA. O Google anunciou na segunda-feira em seu blog que os clientes que aguardavam a disponibilização do Nexus One para a rede da Verizon deveriam ir ao website da operadora, onde poderiam encomendar o Droid Incredible, um aparelho similar fabricado pela HTC Corp, de Taiwan.

GUSTAVO NICOLETTA, Agencia Estado

26 de abril de 2010 | 17h18

A loja online do Google, onde os clientes podem adquirir o Nexus One, indicava anteriormente que o aparelho seria compatível com a rede da Verizon até a primavera - do hemisfério norte, outono no sul - de 2010. A Verizon Wireless pertence à Verizon Communications e ao Vodafone Group.

O anúncio foi considerado um golpe ao único telefone com a marca Google, já que o aparelho não estará mais disponível para os mais de 90 milhões de clientes da Verizon. O porta-voz da operadora, Jeffrey Nelson, recusou-se a comentar o anúncio e recomendou que todas as dúvidas sobre o assunto fossem enviadas diretamente ao Google.

Não havia um porta-voz do Google disponível para comentar o anúncio imediatamente. Há quase duas semanas, o executivo-chefe de finanças do Google, Patrick Pichette, disse em uma entrevista que a companhia pretendia dar continuidade aos planos para disponibilizar o Nexus One na rede Verizon até a primavera deste ano.

O Google rompeu os modelos de convencionais de vendas ao lançar o smartphone em janeiro, afirmando que venderia as unidades diretamente aos consumidores por meio de uma loja online. O Nexus One é vendido por US$ 529 sem o serviço da operadora e, nos EUA, os consumidores podem comprá-lo por US$ 179 se assinarem um contrato de dois anos com a operadora T-Mobile USA, da Deutsche Telekom.

No início da ano, a Verizon era cotada como futura parceira do Google no projeto do Nexus One, mas a natureza exata da parceria dependeria da resposta dos consumidores ao aparelho a à capacidade do Google para oferecer suporte aos clientes, segundo fontes familizarizadas com a questão. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.