Governo acelera obras do PAC e gastos crescem 39% no 1º semestre

O governo Dilma Rousseff já investiu R$ 324,3 bilhões em obras da segunda fase do PAC

Célia Froufe, Anne Warth e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

26 de julho de 2012 | 10h22

O governo Dilma Rousseff já investiu R$ 324,3 bilhões em obras da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), o que significa que já foram gastos 34% do previsto até 2014, que é de R$ 955 bilhões. O total de obras concluídas chegou a 29,8%, totalizando R$ 211 bilhões.

Segundo o quarto balanço do PAC, a execução em 2012 é de R$ 119,9 bilhões - 39% superior em relação aos primeiros seis meses de 2011. O valor pago com recurso do Orçamento até 23 de julho de 2012 totalizou R$ 19,7 bilhões, 32% a mais que o valor pago até 31 de julho de 2011. Já os empenhos realizados neste mesmo período teve aumento de 57%, totalizando R$ 18,3 bilhões.

Segundo o Ministério do Planejamento, o valor previsto de desembolso para obras concluídas é de R$ 708 bilhões até 2014, o que corresponde a 74% do total. O restante será concluído após 2014, como a Usina Hidrelétrica de Belo Monte e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro.

O Ministério destaca no documento que o crescimento da execução em 2012 evidencia que o PAC 2 entra em um ciclo mais acelerado das obras, após a fase de preparação de ações como planejamento, licenciamento, licitações e contratações, ocorridas em 2011.

Minha Casa, Minha Vida

As obras concluídas do eixo Minhas Casa, Minha Vida somaram R$ 129,3 bilhões, segundo divulgou há pouco o Ministério do Planejamento no quarto balanço do programa. De acordo com o Ministério, Minha Casa, Minha Vida 2 foram contratadas mais de 799 mil unidades.

O sistema brasileiro de poupança e empréstimo realizou 661 mil contratos para a construção compras com reforma de moradias e 564 mil obras de urbanização em assentamentos precários foram concluídas. O documento destacou a inauguração da plataforma da Petrobrás (P-59), que irá perfurar poços na costa brasileira.

Com R$ 55,1 bilhões investidos nesse eixo de energia, a capacidade foi ampliada em 3.886 megawatts desde o início de 2011. Até abril deste ano, também foram iniciados 321 postos exploratórios, dos quais 203 já foram concluídos. Na hidrelétrica de Santo Antonio (RO), quatro turbinas entraram em atividade e a linha de transmissão de Cuiabá, a Rio Verde (GO), que tem 600km de extensão, foi concluída.

Grandes cidades

O PAC Mobilidade grandes cidades destinou R$ 32,7 bilhões para a construção de metrôs em Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Fortaleza, Salvador e região metropolitana do Rio de Janeiro, além de Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) e corredores de ônibus. No total, segundo divulgou há pouco o Ministério do Planejamento, foram 43 empreendimentos selecionados em 51 municípios brasileiros. "O governo federal investe em mobilidade urbana nas grandes e médias cidades brasileiras, desafogando o trânsito nas principais capitais do País", diz o documento.

Para as médias cidades, com população entre 250 mil e 700 mil habitantes, o programa prevê financiamento de R$ 7 bilhões para melhorias na infraestrutura. O PAC 2 entregou também, conforme o planejamento 1.275 retroescavadeiras para 1.299 municípios. A adesão para outras 3.591 máquinas está aberta. Com isso, o governo pretende garantir uma retroescavadeira para todos os municípios do Brasil. Além dessas máquinas, 1.330 motoniveladoras estão em fase de seleção.

Tudo o que sabemos sobre:
imóveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.