Governo argentino revoga sistema de tarifa de soja

A presidente da Argentina,Cristina Fernández de Kirchner, decretou nesta sexta-feira arevogação do controverso imposto variável sobre as exportaçõesde grãos, um sistema de taxa que enfureceu o setor ruraldurante mais de quatro meses e levou o governo a uma criseprofunda. O decreto, que valerá a partir de segunda-feira, quandopublicado no diário oficial, retoma a política tarifáriaanterior à polêmica resolução, determinando uma alíquota fixapara a soja, o principal produto de exportação do país, em 35por cento. A presidente decidiu voltar atrás na sua política depoisque o Senado derrubou nesta semana a proposta enviada pelogoverno sobre os impostos, com um voto decisivo dovice-presidente Julio Cobos. "Talvez mais adiante" seja enviado um novo projeto aoCongresso, disse à Reuters o chefe de gabinete, AlbertoFernández, após anunciar a medida. Os produtores rurais da Argentina, um dos maioresfornecedores globais de alimentos, comemoraram a anulação doimposto maior, embora tenham mostrado alguma cautela. "Acabou-se o conflito", afirmou à TV Luciano Miguens,presidente da Sociedade Rural Argentina. Apesar de aplaudir a nova posição do governo, uma dasentidades que representa os menores produtores pediu outrasmudanças nas políticas do setor. "Comemoramos (a medida). Agora vamos ver com os pequenos emédios produtores se as condições melhoram", afirmou EduardoBuzzi, presidente da Federação Agrária Argentina. O governo anulou o sistema de retenções móveis, mas tambémas compensações que havia anunciado durante os últimos quatromeses para os pequenos e médios produtores, com as quaistentava acabar com o conflito. (Por Lucas Bergman)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.