Governo de Portugal e oposição se unem para evitar crise com dívida

Portugal está baseando-se em um rígido programa deausteridade para reduzir o déficit para 8,3% do PIB em 2010 epara o limite de 3% da UE em 2013

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

28 de abril de 2010 | 11h42

O governo de Portugal e a oposição concordaram trabalhar juntos para evitar uma crise na dívida no país, disse o primeiro-ministro, José Sócrates. "O governo e o principal partido de oposição decidiram trabalhar juntos para responder a um ataque especulativo sem fundamento contra o euro e contra a dívida soberana portuguesa", afirmou Sócrates.

Os comentários foram feitos durante uma entrevista à imprensa com o líder do Partido Social Democrata, de centro-direita, Pedro Passos Coelho, um dia após a agência de classificação de risco Standard & Poor's cortar o rating de Portugal, provocando temores de que o país está no mesmo caminho da grega.

O governo de Portugal está baseando-se em um rígido programa de austeridade para reduzir o déficit público para 8,3% do PIB em 2010 e para o limite de 3% da União Europeia em 2013.

O governo "pretende estender as medidas de 2010 para os próximos anos, dentro de nosso programa de crescimento e de estabilidade", de modo que "os atores internacionais saibam que o país pretende respeitar seus objetivos", afirmou Sócrates.

Várias greves têm ocorrido nos meses recentes em protesto às medidas de austeridade do governo. Os servidores do Parlamento fizeram greve nesta quarta-feira pela primeira vez desde 1974. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
Portugaldívidadéficit

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.