Governo de SP obtém financiamento com BNDES para metrô, trem

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Governo de São Paulo assinaram nesta quarta-feira contratos para financiamento de 1,47 bilhão de reais que serão destinados à expansão da Linha 2-Verde do metrô, por meio do monotrilho, e modernização e reconstrução de estações da Linha 8-Diamante do trem.

REUTERS

20 de junho de 2012 | 13h31

O contrato de financiamento de 922 milhões de reais prevê a expansão da Linha 2 - Verde no sentido leste, ligando a estação Vila Prudente à estação Hospital Cidade Tiradentes por meio do sistema monotrilho. Serão acrescentados 24,5 quilômetros à rede do metrô por meio do sistema monotrilho em vias elevadas.

Já o contrato da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), no montante de 550 milhões de reais, será destinado à modernização e reconstrução de 13 das 20 estações da Linha 8 - Diamante, no trecho entre as estações Júlio Prestes e Itapevi, informou o BNDES.

A estimativa é de que os dois projetos estejam em operação plena em 2016, gerando cerca de 5 mil empregos diretos na fase de implantação.

No caso do metrô, segundo o BNDES, os trechos entrarão em operação gradualmente, sendo que o trecho da etapa 1, entre Vila Prudente e Oratório, deve começar a funcionar a partir de setembro de 2013.

"Em seguida, a linha será expandida até a estação São Mateus, com previsão de entrada em operação em setembro de 2014, já atendendo uma demanda estimada de 340 mil passageiros por dia (etapa 2). Por fim, o trecho entre as estações São Mateus e Hospital Cidade Tiradentes deverá ser concluído em 2016", acrescentou o comunicado.

(Por Anna Flávia Rochas)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASBNDESGOVERNOSP*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.