Governo eleva tarifa de pedágio para 7 lotes de rodovias

A principal razão desse aumento é a mudança na taxa interna de retorno do investimento, que foi elevada de 5,5% para 7,2% 

Anne Warth, da Agência Estado,

29 de maio de 2013 | 12h16

O governo decidiu elevar a tarifa máxima de pedágio a ser cobrada para os sete lotes de rodovias que devem ser leiloados a partir de setembro. A principal razão desse aumento é a mudança na taxa interna de retorno do investimento, que foi elevada de 5,5% para 7,2%, e as novas projeções de demanda de tráfego nas rodovias, que foram reduzidas.

O documento da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) considera a tarifa-teto a ser cobrada a cada 100 quilômetros rodado, e vence quem oferecer o maior desconto para esse valor na licitação.

Desde o anúncio do pacote de concessão de rodovias e ferrovias, em 15 de agosto, o governo já havia feito outras mudanças no modelo: aumentou o prazo de concessão - de 25 anos para 30 anos - e melhorou as condições de financiamento, tudo para atrair mais investidores para a disputa. O lote 1 é um trecho de 772,3 km da BR-101 na Bahia. O valor de pedágio máximo a cada 100 km foi elevado para R$ 11,51, considerando a TIR de 7,2%. O valor que havia ido para audiência pública era de R$ 7,45.

O lote 2 é um trecho de 376,9 km da BR-262 no Espírito Santo e Minas Gerais. O valor de pedágio máximo a cada 100 km aumentou para R$ 11,38. O valor que foi para audiência pública era de R$ 7,82.

O lote 3 é um trecho de 751,9 km da BR-153 em Goiás e Tocantins. O valor de pedágio máximo a cada 100 km aumentou para R$ 9,48, ante R$ 5,84 na audiência pública. O lote 4 é um trecho de 425,8 km da BR-050 em Goiás e Minas Gerais. O valor máximo de pedágio a cada 100 km aumentou para R$ 8,17, ante R$ 5,21 na audiência pública.

Já o lote 5 é um trecho de 1.176,5 km das BR-060/153/262 no Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais. O valor máximo de pedágio a cada 100 km aumentou para R$ 5,43, ante R$ 3,36 na audiência pública. O lote 6 é um trecho de 1.423,3 km das BR-163/267/262 no Mato Grosso do Sul. A tarifa-teto de pedágio a cada 100 km foi elevada para R$ 9,47, ante R$ 7,10 na audiência pública. O lote 7 é um trecho de 821,6 km da BR-163 no Mato Grosso. O valor máximo de pedágio a cada 100 km foi elevado para R$ 4,66, ante R$ 3,17 na audiência pública.

Esses valores constam da minuta do edital de concessão das rodovias e foram divulgados pela ANTT. Os preços podem sofrer mudanças, pois ainda precisam passar pelo crivo do Tribunal de Contas da União (TCU).

Tudo o que sabemos sobre:
leilõesrodoviaspedágioreajuste

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.