Fabio Motta|Estadão
Fabio Motta|Estadão

Saab será avisada de eventual acordo entre Embraer e Boeing

Empresa sueca, que vai transferir tecnologia de caças ao Brasil, pediu que governo informe avanços na negociação

Fernando Nakagawa, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2018 | 15h56

BRASÍLIA – Qualquer avanço nas negociações para a aproximação da Embraer com a americana Boeing terá de ser comunicado à sueca Saab, empresa que fornecerá caças para a Força Aérea Brasileira. O acerto foi firmado pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o presidente mundial da Saab, Håkan Buskhe. 

O executivo sueco veio ao Brasil buscar detalhes sobre o potencial negócio já que a Saab transferirá tecnologia à Embraer no processo de fabricação dos caças Gripen comprados pela FAB. “Não há impedimento (para o negócio), mas queremos saber o que está sendo discutido”, disse Buskhe. 

+ Boeing prepara nova proposta para a Embraer

A reunião em Brasília foi solicitada pela Saab que tem demonstrado preocupação com eventual negócio Embraer-Boeing, já que a brasileira terá acesso à tecnologia dos caças Saab – concorrente da Boeing no mercado de defesa que participou da concorrência bilionária da FAB vencida pelos suecos.

Cautela. Após reunião no Ministério da Defesa, o executivo da Saab reafirmou a intenção de manter a parceria com a Embraer na produção dos caças, mas ressaltou que a transferência de tecnologia para o Brasil é um tema que precisa ser analisado com cuidado. “Eu não tenho a intenção de deixar a cooperação com o Brasil. Mas, logicamente, quando vem uma terceira parte, temos de entender qual é a estrutura e o impacto na nossa tecnologia”, disse.

+ Embraer reitera que não há garantia de combinação de negócios com a Boeing

Em entrevista ao lado do ministro Jungmann, o executivo citou que a transferência de tecnologia da Saab para a Embraer na produção dos caças é a maior já feita pela empresa. Diante disso, o executivo afirmou que qualquer movimento que envolva ações “estratégicas” em termos tecnológicos da Saab terão de passar pelo crivo de Estocolmo. “O governo obviamente tem uma opinião sobre o assunto porque, assim como a Embraer é para o Brasil, a Saab é estratégica para a Suécia”, disse.

Contrato no setor de defesa. Se o negócio entre Embraer e Boeing avançar, o Brasil adotará salvaguardas para proteger a área de defesa, em especial a transferência de tecnologia sueca dos caças Gripen para a brasileira. O compromisso do ministro da Defesa, Raul Jungmann, foi comunicado ao presidente mundial da Saab, Håkan Buskhe - empresa que fabricará as aeronaves com a Embraer. 

+ Embraer afirma que conversas sobre aliança com Boeing estão em andamento

“Se vier a acontecer a parceria Embraer-Boeing, temos de construir salvaguardas que passarão pelo crivo da Saab”, disse Jungmann. “Não é aceitável que uma tecnologia desenvolvida por uma parceira da Embraer passe para outra.” 

+ ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE A EMBRAER

Tudo o que sabemos sobre:
BoeingEmbraerSaabaviação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.