Governo insiste em votar hoje projeto que acaba com guerra dos portos

Ideli Salvatti afirmou em café da manhã com líderes da base alidada que Senado deveria votar ainda nesta terça-feira a resolução para o fim da guerra fiscal entre Estados

Ricardo Brito, da Agência Estado,

24 de abril de 2012 | 12h38

BRASÍLIA - A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, afirmou nesta terça-feira (24) que o Senado deveria votar hoje em plenário o projeto de Resolução 72, que acaba com a guerra dos portos. Ideli participou de um café da manhã no gabinete do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), com a presença de líderes da base aliada.

"Ficou decidido que nós vamos votar hoje", disse Ideli, na saída da reunião. "Os Estados de Santa Catarina, Goiás e Espírito Santo já estão com compensações negociadas. Eu defendo que esse projeto já está pronto para votar em plenário". Os líderes governistas devem se reunir ainda hoje com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para discutir os últimos detalhes da proposta e a forma de votação.

Na segunda-feira (23) à tarde, após conversar com sua equipe técnica, Braga pretendia adiar a votação para quarta-feira, por entender que a prioridade era votar duas medidas provisórias que trancavam a pauta, uma das quais perdia a eficácia na quinta-feira. Mas, depois da reunião no seu gabinete, o líder disse que o melhor é votar logo o projeto e depois apreciar as medidas provisórias.

É provável que, no intervalo entre a votação da Resolução 72 e as MPs, o Senado encerre os trabalhos temporariamente para que uma sessão do Congresso, prevista para ocorrer às 19h30, seja convocada. Nela serão lidos os nomes que os partidos indicaram para compor a CPI do Cachoeira. As bancadas do PT e do PMDB ainda não indicaram todos os integrantes para a comissão que deve investigar as relações do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com agentes públicos e empresas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.