Governo não pretende adotar novos estímulos ao consumo, diz Mantega

Segundo o ministro da Fazenda, os estímulos do governo iniciados em 2011 estão surtindo efeito

Economia & Negócios,

29 de maio de 2013 | 11h55

Após a divulgação do crescimento de 0,6% do Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB) no 1º trimestre de 2013, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, lembrou que o País manteve o mesmo ritmo de crescimento do 4º trimestre de 2012 (o melhor do ano passado, trimestralmente), quando avançou também 0,6%.

Segundo Mantega, os estímulos dados pelo governo desde 2011 estão surtindo efeito e a economia cresce mesmo em cenário adverso internacionalmente.

Mantega afirmou que o governo não pretende fazer novos estímulos ao consumo e espera que o setor se recupere partir do dinamismo dos investimentos. Segundo ele, o consumo não será o carro-chefe do crescimento da economia.

Para o ministro da Fazenda, a qualidade do crescimento do País melhorou, pois os investimentos mostraram força, com alta de 4,6% no primeiro trimestre contra o quarto trimestre de 2012.

"A economia está em ritmo de crescimento de 2,2%", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.