SebastiãoMoreira/EFE
SebastiãoMoreira/EFE

Governo não vai insistir em data centers no Brasil, diz Dilma via Facebook

Presidente responde perguntas de seguidores via Internet; sobre os datacenters, Dilma escreveu que o governo considera 'superado esse debate'

Mário Braga e José Roberto Castro, da Agência Estado,

24 de abril de 2014 | 10h09

SÃO PAULO - Em resposta a internautas que enviam perguntas via Facebook nesta quinta-feira, 24, a presidente Dilma Rousseff disse que, após a sanção do Marco Civil da Internet, o governo não irá insistir em outra legislação para obrigar a implantação de data centers no País. "Consideramos superado esse debate pelo parágrafo 3º do artigo 11, justamente a obrigação para os provedores de conexão e aplicação de cumprir a legislação brasileira, referente à coleta, guarda, armazenamento ou tratamento de dados", escreveu.

Questionada sobre a importância da aprovação da lei, Dilma afirmou que o Marco Civil coloca o Brasil "na vanguarda, na proteção dos direitos dos usuários da internet". "A partir de agora, qualquer dado coletado no Brasil, pouco importando se por empresa brasileira ou estrangeira está sujeito a legislação brasileira", anotou a presidente.

Um internauta citou "grupos conservadores", que associam a regulamentação do Marco Civil da Internet ao "ditadura ou forma de censura".

Sobre o tema, a presidente foi direta. "Podemos atribuir isso ao próprio conservadorismo das pessoas. É o argumento de que seria uma intervenção indevida".

A presidente voltou a destacar a importância da lei aprovada no País. "Sem sombra de dúvida, nosso #MarcoCivil é a legislação mais avançada no mundo", escreveu. Indagada se o armazenamento de dados afeta a privacidade de cada usuário, Dilma disse que a violação da privacidade de dados é vedada apenas a empresas e governos e que um decreto ainda vai regulamentar a lei. "Ele será discutido amplamente pela internet e com toda a sociedade para que nós possamos aprimorar cada vez mais esse dispositivo que assegura a privacidade e coibindo eventuais abusos", comentou.

Em meia hora, havia mais de 380 perguntas postadas por internautas, das quais cerca de dez estavam respondidas. Em meio às dúvidas sobre a legislação aprovada, Dilma agradeceu manifestações de apoio e elogios. Ela também postou uma foto cumprimentando os internautas, atendendo a um pedido.

Tudo o que sabemos sobre:
Marco CivilinternetDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.