Grã-Bretanha esnoba Rússia em protesto por ações na Ucrânia

A Grã-Bretanha fez uma afronta diplomática calculada contra a Rússia ao não convidar qualquer um de seus funcionários do governo para feira aeronáutica da Airshow na próxima semana, em protesto contra as ações de Moscou na Ucrânia.

REUTERS

12 de julho de 2014 | 14h43

A Farnborough International Airshow (FIA) é um grande evento no calendário da aviação para a qual a Rússia geralmente envia um grande contingente em busca de vendas internacionais.

Mas em comunicado deste sábado, o Ministério das Relações Exteriores britânico disse que não iria enviar a funcionários do Kremlin os convites habituais e estava tomando medidas para reforçar regras de exportação militares para a Rússia.

"É uma questão comercial para os organizadores a quem vendem espaço de exposição", disse em comunicado.

O governo, disse, convida representantes de certos países para assistir ao evento como convidados. "Mas, devido às ações russas na Ucrânia, não enviamos convites a representantes do governo russo para FIA 2014".

O comunicado também informou sobre medidas para retirar a Rússia da lista de países capazes de usar o tipo mais flexível de licença estratégico de exportação britânica, para desencorajar a presença russa na Air Show.

Não houve comentário imediato da embaixada russa em Londres.

A Grã-Bretanha e seus parceiros da Otan acusa a Rússia de apoiar separatistas pró-russos no leste da Ucrânia, mas Moscou nega que tenha permitido que caças cruzassem a fronteira com armas pesadas para enfrentar as forças do governo ucraniano.

(Reportagem de Stephen Addison)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASAIRSHOWGRABRETANHARUSSIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.