Grã-Bretanha quer que empresas estrangeiras garantam empregos em fusões

A Grã-Bretanha deve apresentar proposta para forçar compradores estrangeiros de empresas importantes do país a se comprometerem a garantir empregos e orçamentos de pesquisa, afirmou a rede de TV Sky News neste sábado.

REUTERS

12 de julho de 2014 | 18h00

O secretário de Negócios Vince Cable deve anunciar em breve os planos para impedir a erosão da base de pesquisas da Grã-Bretanha, acrescentou a reportagem.

A Sky disse que Cable quer reforçar os poderes de um painel que fusões e aquisições envolvendo empresas britânicas.

O painel pode forçar estrangeiros de qualquer setor a tornar públicas suas intenções, mas não pode exigir que assumam compromissos juridicamente vinculativos para emprego e pesquisa.

O assunto emprego tornou-se politicamente sensível dentro do governo trabalhista quando a americana Kraft Foods rejeitou pedido de manter uma fábrica Cadbury na Grã-Bretanha. E de novo há dois meses, quando a gigante farmacêutica Pfizer tentou assumir a AstraZeneca britânica.

(Reportagem de Stephen Addison)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASGRABRETANHAFUSOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.