Grécia deve implementar reformas para voltar a crescer, diz Papademos

Primeiro-ministro também disse queum novo aumento no desemprego é provável em 2012

Renan Carreira, da Agência Estado,

30 de março de 2012 | 10h21

O primeiro-ministro da Grécia, Lucas Papademos,disse nesta sexta-feira que o país deve manter a agenda de reformas afim de voltar a ter crescimento econômico. Com isso, o premiê envia umamensagem para os parceiros da coalizão, que estão batendo boca sobre asnecessárias dolorosas mudanças enquanto manobram por posições antes daseleições.

Em declarações aos legisladores, Papademos afirmou queum novo aumento no desemprego é provável em 2012, o quinto ano decontração da economia, mas um retorno do crescimento deve ocorrer emmeados de 2013.

"Com a implementação de medidas econômicas e aintrodução de reformas, um impulso para a competitividade e medidas paraaumentar a liquidez... Condições para a estabilidade... Assim, umarecuperação da economia vai ser criada", afirmou.

Os doisprincipais partidos da Grécia - o Partido Socialista, ou Pasok, e alegenda de centro-direita Nova Democracia, que juntos apoiam o governointerino - publicamente se confrontaram por causa das reformas nasúltimas semanas, em meio à queda de apoio às duas siglas antes daseleições que devem ser realizadas no fim de abril ou no início de maio.As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
GréciaPapademos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.