Grécia e credores dizem que fizeram progressos em conversas sobre haircut

Governo grego e o Instituto Internacional de Finanças afirmaram em comunicado que continuarão com os esforços para encontrar uma solução voluntária que ajude o país

Álvaro Campos, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2011 | 15h25

LONDRES - O governo da Grécia e o Instituto Internacional de Finanças (IIF), que representa os credores privados do país, afirmaram nesta sexta-feira, 16, que obtiveram progressos nas negociações para uma solução voluntária para o desconto (haircut) no valor dos bônus gregos.

No fim de outubro, os governos da zona do euro concordaram que a Grécia negociasse um haircut de 50% nos bônus, como parte do segundo pacote internacional de resgate para o país, que totaliza 130 bilhões de euros. Mas eles disseram que a participação dos credores privados deveria ser voluntária, para evitar o acionamento de contratos de swap de default de crédito (CDS, na sigla em inglês), que poderiam prejudicar ainda mais o já frágil sistema financeiro do bloco.

"Houve progressos e ambos os lados concordaram em continuar com os esforços para encontrar uma solução voluntária que ajude a Grécia a entrar em um caminho de sustentabilidade da dívida e recuperação econômica", afirmaram o governo grego e o IIF em um comunicado conjunto.

Mais cedo esta semana, pessoas com conhecimento do assunto disseram que os dois lados estavam avançando em direção a um acordo sobre a taxa do cupom (juro nominal) dos novos bônus que serão oferecidos em troca dos títulos antigos. Mas outras partes do acordo ainda precisam ser trabalhadas.

O comunicado divulgado hoje indica que também houve progressos para tornar os novos bônus que serão emitidos pela Grécia mais seguros. O governo havia proposto realizar um pagamento único igual a cerca de 15% do valor dos bônus antigos, totalizando 30 bilhões de euros. O IIF pediu garantias para o principal dos novos bônus, estimado em cerca de 30 bilhões de euros.

Essas garantias podem vir de um órgão da zona do euro, como por exemplo a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês). "O setor privado elogia a disposição das autoridades gregas para trabalhar em maneiras de fortalecer a qualidade da dívida trocada", diz o comunicado conjunto.

A Grécia espera concluir as conversas com os credores privados no fim de janeiro, o que deve abrir caminho para a aprovação e implementação do segundo pacote de resgate para o país.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
greciacredoresconversas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.