Grécia não está em risco de colapso, diz ministro

Segundo Papaconstantinou, bancos gregos não foram afetados pelo rebaixamento e ainda estão elegíveis a sacar fundos do BCE

Danielle Chaves, da , Agência Estado

27 de abril de 2010 | 15h27

O ministro de Finanças da Grécia, George Papaconstantinou, afirmou que o país não está em risco de default. Em um comunicado, o Ministério de Finanças disse que o rebaixamento dos ratings do país pela Standard & Poor's não reflete adequadamente o estado da economia grega nem das finanças públicas do país.

 

"O rebaixamento do rating de crédito do nosso país anunciado nesta terça-feira, 27, não reflete o real estado da economia grega nem o progresso na posição fiscal básica", afirmou o ministério.

 

O comunicado diz também que os bancos gregos, cujo acesso à liquidez são indiretamente ligados aos ratings soberanos do país, não foram afetados pelo rebaixamento e eles permanecem elegíveis a sacar fundos do Banco Central Europeu (BCE).

 

A S&P cortou os ratings da Grécia para BB+, o primeiro nível do grau especulativo, e alertou que pode rebaixá-los ainda mais. Os bancos gregos possuem grandes quantidades de bônus soberanos do governo, que usam como colateral para obter liquidez do BCE. As informações são da Dow Jones.

O comunicado diz também que os bancos gregos, cujo acesso à liquidez são indiretamente ligados aos ratings soberanos do país, não foram afetados pelo rebaixamento e eles permanecem elegíveis a sacar fundos do Banco Central Europeu (BCE).

A S&P cortou os ratings da Grécia para BB+, o primeiro nível do grau especulativo, e alertou que pode rebaixá-los ainda mais. Os bancos gregos possuem grandes quantidades de bônus soberanos do governo, que usam como garantia para obter recursos do BCE. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseGréciaratingPapaconstantinou

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.