Grécia negocia adiamento das metas de déficit para 2015, diz jornal

Diário afirmou que o assunto foi levantado pelo ministro de Finanças, Philippos Sachinidis, durante a reunião de primavera do FMI e do Banco Mundial

Danielle Chaves, da Agência Estado,

26 de abril de 2012 | 09h59

O governo da Grécia tem conversado com os credores internacionais para adiar em um ano as metas de déficit de médio prazo, segundo o jornal Ta Nea, em um esforço para reduzir o impacto das atuais medidas de austeridade sobre a economia. Citando uma fonte do governo, o diário afirmou que o assunto foi levantado pelo ministro de Finanças, Philippos Sachinidis, durante a reunião de primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, na semana passada.

Sob o atual programa de austeridade grego, o país precisa reduzir o déficit no orçamento para 3% do Produto Interno Bruto (PIB) até o fim de 2014, de 9,1% no ano passado. De acordo com o jornal, o governo quer empurrar o prazo para 2015.

Em junho a Grécia precisará detalhar cerca de € 1 bilhão - ou 5,5% do PIB - em novos cortes de gastos para cobrir o esperado déficit orçamentário em 2013 e 2014. Mas, em meio à expectativa de que a economia tenha uma contração maior do que a previsão oficial de 4,7% neste ano, o governo teme que mais medidas de austeridade possam ser necessárias apenas para cumprir a meta deste ano.

O Ta Nea informou que uma proposta que está sendo considerada pelo FMI permitirá que a Grécia implemente apenas cerca de € 9 bilhões - ou 4,5% do PIB - em novas medidas durante os próximos dois anos e equilibre o orçamento em 2015.

Em entrevista à Dow Jones na terça-feira, Sachinidis levantou a possibilidade de afrouxar o programa de austeridade do país para ajudar a economia grega a voltar ao crescimento. "Tendo em vista que a volta para taxas de crescimento positivas do PIB é muito importante para o sucesso do programa, ajustes podem ser considerados no futuro", afirmou o ministro na ocasião. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciadívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.