Grécia pedirá a credores mais dois anos para cumprir metas, dizem fontes

De acordo com essas fontes, o ministro interino de Finanças informará os parceiros da Europa sobre o pedido entre hoje e amanhã

Álvaro Campos, da Agência Estado,

21 de junho de 2012 | 10h10

O novo governo de coalizão da Grécia concordou em pedir aos credores internacionais do país uma prorrogação de dois anos para o cumprimento das metas fiscais, segundo informaram hoje fontes dos partidos que compõem a nova administração.

De acordo com essas fontes, o ministro interino de Finanças da Grécia, George Zanias, informará os parceiros da Europa sobre o pedido nas reuniões dos grupos de ministros de Finanças da zona do euro (Eurogrupo) e União Europeia (Ecofin) que acontecem hoje e amanhã em Luxemburgo.

Essas fontes também afirmam que a prorrogação do prazo para as metas fiscais significa que a troica de credores - formada por Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI) - teria de antecipar pelo menos 16 bilhões de euros do segundo pacote de resgate destinado aos gregos, que totaliza 130 bilhões de euros.

O escritório do presidente da Grécia, Karolos Papoulias, informou que o novo gabinete de governo será empossado hoje, às 13h (de Brasília). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Grécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.