Grécia pode vender até US$ 43 bilhões em terras públicas, diz ‘WSJ’

Segundo publicação, vendas fariam parte do plano de privatização para levantar dinheiro para reduzir dívidas

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

31 de maio de 2011 | 18h21

O governo da Grécia está se preparando para vender até € 30 bilhões (US$ 42,9 bilhões) de bens públicos, como parte do plano de privatização para levantar dinheiro para reduzir a sua montanha de dívidas, reportou o Wall Street Journal, nesta terça-feira, 31. O governo grego ainda está no início do processo, mas as vendas futuras deverão incluir bens que vão desde a participação estatal no resort Casino Mont Parnes, em Atenas, hotéis e até mesmo uma concessão para desenvolver um resort de luxo com campo de golfe de classe mundial na ilha de Rodes.

A Hellenic Public Real Estate Corp., braço do governo que administra a propriedade pública, tem uma lista de cerca de 75 mil propriedades individuais estatais. A corporação nomeou o National Bank of Greece para liderar um consórcio de consultores que estão agora se preparando para vender um portfólio inicial de 20 a 30 propriedades. O primeiro imóvel pode ser colocado à venda nos próximos meses, de acordo com Aristotelis Karytinos, diretor-geral da divisão imobiliária do National Bank.

Em seu último relatório sobre a Grécia, o Fundo Monetário Internacional (FMI) estima que mais de € 15 bilhões poderiam ser levantados através da venda de imóveis do governo. Segundo Karytinos, o produto esperado da venda de propriedades ou locação está agora estimado entre € 15 bilhões e € 30 bilhões. Os primeiros passos são peneirar a longa lista de bens públicos, identificar os melhores imóveis e resolver todas as questões legais para garantir que a propriedade seja plenamente desenvolvida pelos investidores.

"Temos mais ou menos que saber o que o governo possui, mas muitas das propriedades podem ter alguns problemas legais ou técnicos que precisam ser resolvidos antes que possamos explorá-las", acrescentou Karytinos.

A privatização de imóveis faz parte de um amplo programa de venda de participações governamentais no valor de cerca de € 50 bilhões que Atenas concordou em fazer para obter um socorro financeiro de € 110 bilhões pela União Europeia e do FMI. O Fundo tem pressionado a Grécia a acelerar o processo de privatização e acredita que é melhor deixar as participações do governo em propriedades e indústrias nas mãos do setor privado.

O governo da Grécia espera atrair investidores internacionais para a criação de resorts modernos e comunidades residenciais para turistas estrangeiros. "A indústria do turismo é claramente um dos nossos pontos fortes", ressaltou Karytinos. "Esta é uma área onde temos uma vantagem e nós estamos conversando com investidores internacionais sobre como criar esse tipo de empreendimento."

A maioria dos imóveis públicos é terreno não urbanizado ou locais que já não são mais utilizados, como o antigo aeroporto de Atenas, em Hellenikon. Na maioria dos casos, o governo grego não pode realmente vender o imóvel de imediato, mas é mais provável que arrende o terreno subjacente para desenvolvimento.

"Nossa estratégia é a outorga de concessões, arrendamentos de longa duração de 30 a 40 anos, dependendo da propriedade individual, mas o governo vai reter a posse da terra", explicou Karytinos. "As primeiras propriedades devem chegar ao mercado nos próximos meses, certamente até o final do ano." As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
governogréciaatenasfmicrisedívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.