Greenspan defende fim em corte de imposto e alerta para nova crise

Ex-dirigente do Federal Reserve, que apoiou cortes nos impostos feitos por George W. Bush em 2001, disse que agora é a favor do fim da isenção fiscal para conter dívida dos EUA

André Lachini, da Agência Estado,

18 de abril de 2011 | 09h17

O ex-dirigente do Federal Reserve, Alan Greenspan, que apoiou os cortes nos impostos feitos por George W. Bush em 2001, disse neste domingo que agora ele é a favor do fim da isenção fiscal, porque o risco de uma crise da dívida dos Estados Unidos ficou muito grande.

"Esta crise é tão iminente e tão difícil que eu penso que precisamos deixar que todos os chamados 'cortes de impostos do Bush' expirem. É um número muito grande", disse Greenspan no programa Meet the Press, da emissora NBC, referindo-se a quanto o governo americano economizaria se os impostos voltassem ao que eram sob o presidente Bill Clinton, que governou na década de 1990.

Mesmo com o alerta, Greenspan se disse "bem mais otimista" atualmente de que os EUA conseguirão resolver seus problemas fiscais, em comparação há alguns meses. Ele citou acordos recentes firmados entre republicanos e democratas para reduzir e cortar gastos do governo americano. Mas ele alertou para o risco do governo ser "complacente". "Nós vamos fazer isso realisticamente - e eu espero mais cedo do que mais tarde", disse Greenspan. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FedGreenspancortesimpostosEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.