Efe
Efe

Greve de 33 mil funcionários da Lufthansa cancela 1.700 voos na Alemanha

Os funcionários em solo da Lufthansa, maior companhia aérea da Alemanha, paralisaram suas atividades nesta segunda-feira, 22, devido a uma greve de um dia que levou a companhia a cancelar a maior parte dos voos previstos para esta segunda-feira. A Lufthansa reclamou das táticas "excessivas" do sindicato.

Agencia Estado

22 de abril de 2013 | 11h09

A greve dos técnicos e pessoal de serviço da companhias aérea em toda a Alemanha começou

nas primeiras horas desta segunda-feira. A Lufthansa agiu com antecedência para evitar o caos e anunciou no sábado que estava cancelando quase todos os voos de curta distância programados e a maioria dos serviços de longa distância. No total, a empresa planejava operar somente 32 de mais de 1.700 voos previstos.

O sindicato ver.di anunciou "o alerta de greve" - uma tática usada com frequência para elevar a pressão nas negociações sobre salários - na sexta-feira, 19. A Lufthansa rejeitou na semana passada o pedido do sindicato por um aumento de 5,2% no salário durante o próximo ano e garantias trabalhistas. O ver.di, que está negociando para cerca de 33 mil trabalhadores, rejeitou uma oferta complexa que prevê elevações menores durante um período de 29 meses, argumentando que a oferta significa que os salários recuarão em termos reais.

A companhia aérea permitiu que passageiros com voos agendados para esta segunda-feira remarcassem suas passagens sem nenhum gasto, e disse que as reservas de voos domésticos cancelados na Alemanha poderão ser convertidas em vouchers para viajar de trem. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Lufthansavooscancelamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.