Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Greve de fiscais paralisa fábrica na Zona Franca de Manaus

Manaus, 21 - A Thomson paralisou desde a tarde de ontem mais de 90% de suas atividades, pela falta de componentes que não são liberados pelos fiscais federais agropecuários, em greve desde segunda-feira. Ontem, de acordo com o comando da greve no Amazonas, foi decidido que a paralisação antes prevista para durar cinco dias, deve continuar. A greve dos fiscais, segundo o diretor da Thomson, Wilson Périco, fez com que a fábrica anunciasse a licença remunerada a 400 dos 560 funcionários. "Os nove mil decodificadores (de TV a cabo) diários que produzimos estão sem vários componentes parados no porto de Manaus por conta da greve", contou.O prejuízo diário da fábrica com a paralisação das linhas de produção é de cerca de US$ 500 mil. Segundo a assessoria do Centro de Indústrias do Estado do Amazonas (Cieam), nos próximos dias outras fábricas devem anunciar a paralisação das atividades, por conta da não liberação de mercadorias. Os fiscais, ligados ao Ministério da Agricultura, são responsáveis pela certificação de todas as cargas agropecuárias que entram ou saem do país. Os carregamentos precisam da liberação do serviço de inspeção para ingressar no Brasil ou serem exportados.De acordo com a assessoria do comando de greve no Amazonas, está sendo priorizada a liberação de produtos perecíveis. Em todo o país, os fiscais querem que o governo cumpra um acordo de 2005 e que ainda não teria sido cumprido, como um plano de carreira e a criação de uma unidade de formação profissional interna.

Liège Albuquerque

15 de julho de 2007 | 12h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.