Greve de pilotos da Lufthansa passa a contemplar voos de carga e de longa distância

Greve de pilotos da Lufthansa passa a contemplar voos de carga e de longa distância

A paralisação em toda a Alemanha tem previsão de durar até às 20h59 (horário de Brasília) desta terça-feira

REUTERS

02 Dezembro 2014 | 09h57

Pilotos da Lufthansa começaram o segundo dia de greve nesta terça-feira paralisando voos de carga e de longa distância, além de rotas domésticas e europeias, com milhares de passageiros afetados.

A greve de dois dias dos pilotos, a nona neste ano em uma disputa arrastada sobre um esquema de aposentadoria antecipada, forçou a companhia aérea alemã a cancelar quase a metade de todos os voos programados para segunda e terça-feira. Cerca de 150 mil passageiros foram afetados.

O sindicato dos pilotos Vereinigung Cockpit (VC), que representa cerca de 5.400 pilotos da Lufthansa, está lutando para manter o esquema que permite que pilotos se aposentem aos 55 anos e ainda recebam até 60 por cento do salário antes que comecem os pagamentos regulares de pensão, aos 65 anos.

A Lufthansa já disse que não aceitará uma demanda que novos pilotos, como também aqueles que já fazem parte da companhia, possam se aposentar aos 55 anos.

A companhia diz esperar que pilotos contribuam com o corte de custos no grupo conforme a companhia enfrenta uma dura concorrência de companhias aéreas de baixo custo como a Ryanair e a easyJet, como também de companhias aéreas do Golfo.

A greve em toda a Alemanha tem previsão de durar até às 20h59 (horário de Brasília) desta terça-feira. Os voos da Germanwings não foram afetados.

Ações industriais na disputa já tiraram 160 milhões de euros (200 milhões de dólares) do lucro operacional da Lufthansa.

(Por Maria Sheahan)

Mais conteúdo sobre:
AEREASLUFTHANSAGREVEAMPLIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.