Greve dos fiscais retém 80 mil toneladas nas aduanas gaúchas

Porto Alegre, 19 - A greve dos fiscais federais agropecuários, que começou ontem, provocou, até esta tarde, a retenção de 80 mil toneladas de produtos para importação e exportação nas aduanas gaúchas. O levantamento foi feito pela Associação dos Fiscais Federais Agropecuários (Afama) do Estado, que estimou um valor aproximado de US$ 53,2 milhões para as mercadorias. Os produtos demoram mais a ser liberados porque a fiscalização é realizada por 30% da equipe durante a greve.Entre as mercadorias, predominam madeira, carnes, trigo, maçã, arroz, frutas, couro e cebola, informou o presidente da Afama, José Luiz Castilhos. A categoria tem 300 fiscais na ativa e 130 aposentados no Estado. Os funcionários reivindicam o cumprimento do acordo feito durante a greve de 2005, prevendo reestruturação da carreira, pagamento de um passivo e criação da escola superior de fiscalização.Junto com o Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, e o porto de Rio Grande, o controle de exportação e importação atua nos postos de Bagé, Chuí, Itaqui, Jaguarão, Santana do Livramento, Porto Xavier, Quaraí, Itaqui e Uruguaiana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.