Grevistas fecham maior mina de prata do mundo pelo 3o dia

Mineradores mexicanos na maior mina de prata do mundo levaram sua greve de protesto contra a prisão de representantes sindicais ao terceiro dia neste sábado. Os trabalhadores cruzaram os braços nas instalações do enorme depósito de prata de Fresnillo, no Estado central de Zacatecas, na quinta-feira. Sindicato de trabalhadores e a proprietária da mina, Penoles, afirmaram neste sábado que a greve continua. "Todos os trabalhadores continuam em greve", disse uma fonte no sindicato de trabalhadores. Enquanto isso, um porta-voz da Penoles informou que as grandes minas de zinco em Madero e Sabinas, também em Zacatecas, continuam paradas. A mina de Fresnillo produziu cerca de 33 milhões de onças de prata e perto de 26 mil onças de ouro em 2007. As manifestações começaram depois que o governo mexicano deteve importantes sindicalistas sob acusação de fraude. A categoria afirma que tem sido injustamente alvo do governo por sua independência e por ter promovido uma greve de 16 meses na mina gigante de cobre de Cananea, operada pelo Grupo México.

REUTERS

06 de dezembro de 2008 | 15h46

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAPRATAGREVE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.