Grupo com Odebrecht e Furnas vence leilão de usina no Madeira

O Consórcio Madeira Energia venceunesta segunda-feira o leilão de concessão da usina SantoAntônio, no rio Madeira, com o lance de 78,90 reais pormegawatt hora, deságio de 35 por cento sobre o preço máximopara a energia estabelecido pelo governo, informou a Aneel. O consórcio é composto por Odebrecht, Andrade Gutierrez,Banif-Santander, Furnas e Cemig . Setenta por cento da energia da usina será vendida para asdistribuidoras ao preço de 78,87 reais por megawatt hora,segundo a Aneel. O restante será negociado no mercado livre. O leilão foi realizado em menos de dez minutos, sendoconcluído logo na primeira fase, o que indica que houvediferença superior a 5 por cento entre o lance vencedor e olance mais próximo dele. Pelas regras do leilão, uma diferença inferior a 5 porcento entre o menor valor oferecido para a tarifa e o segundomenor valor levaria a uma segunda fase de ofertas. "Pela magnitude do leilão e a força dos grupos, sempre seimaginava que fosse um leilão de lance único. A concorrênciamuito forte reflete nessa tarifa deprimida", afirmou ajornalistas José Bonifácio Pinto Júnior, diretor de contratosda construtora Norberto Odebrecht, que esteve envolvido nosúltimos seis anos com o projeto do Madeira. Três grupos disputaram o contrato de 30 anos que incluivenda de energia para esse período para 32 distribuidoras emtodo o país, além da parcela a ser negociada no mercado livre. Além do consórcio vencedor, estavam na concorrência pelaconcessão o grupo formado pela Suez Energy e Eletrosul,denominado Consórcio Energia Sustentável do Brasil, e o queenvolvia Camargo Corrêa, Chesf, CPFL e Endesa, denominadoConsórcio de Empresas Investimento de Santo Antônio (Ceisa). O valor estimado para o projeto de Santo Antônio é de 9,5bilhões de reais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.