Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Grupo Ogilvy lança agência ‘latina’

Empresa leva o primeiro nome do fundador do grupo, David Ogilvy, e terá inicialmente escritórios em São Paulo e Buenos Aires

Marina Gazzoni, de O Estado de S. Paulo,

12 de dezembro de 2011 | 23h13

SÃO PAULO - Depois de iniciar o ano com o lançamento da agência de marketing esportivo 9ine, em parceria com o jogador Ronaldo, o publicitário Sérgio Amado, presidente da Ogilvy & Mather no Brasil, fecha 2011 com o anúncio de outra empresa. A nova agência foi batizada de David, o primeiro nome do fundador do grupo, David Ogilvy, que completaria cem anos em 2011.

A David é uma empresa latina, que unirá talentos de publicitários brasileiros e argentinos. "A David nasceu com a proposta de ser forte do ponto de vista criativo", disse Amado, que não revela dados financeiros do projeto.

A nova empresa chega ao mercado com carta branca para ousar. "Quando você cria uma empresa do zero, pode errar e experimentar muito mais", disse o publicitário Fernando Musa, um dos autores do projeto.

A agência é 100% do grupo Ogilvy, mas funcionará de forma independente. Ela terá uma sede própria, mas, por enquanto, a David ficará "incubada" no escritório da Ogilvy. "Será parecido com o que fizemos quando lançamos a 9ine", diz Amado.

A David começa a prospectar clientes na própria carteira da Ogilvy, mas, segundo os executivos, ela não vai concorrer diretamente com a agência. "Existem muitos projetos dos nossos clientes que não são atendidos pela Ogilvy. Vamos oferecer a David", diz Musa.

O anúncio ao mercado da criação da agência foi feito ontem, mas a empresa será inaugurada oficialmente em janeiro de 2012. A primeira campanha deve ser lançada até março.

A David terá, inicialmente, escritório em São Paulo e Buenos Aires. A empresa, no entanto, não quer se restringir ao mercado latino - ela quer ter porte global. "Os clientes do mundo todo reconhecem o talento criativo da região", disse Musa.

Durante o ano de 2012, a agência vai avaliar a abertura de um escritório em Nova York. "O mercado americano e europeu estão em crise, mas a América Latina não. Nós podemos prover os mercados com problema", diz Amado.

A Ogilvy Brasil já oferece soluções para o mercado americano. A campanha da Coca-Cola para o público latino veiculada nos Estados Unidos, por exemplo, é feita no Brasil há três anos. Em 2011, a Ogilvy Latina também venceu uma concorrência global da Coca-Cola para desenvolver uma plataforma de comunicação da empresa.

Clima de festa

A concepção da David durou pouco mais de seis meses. Os publicitários brasileiros Fernando Musa e Anselmo Ramos e o argentino Gastón Bigio tiveram a ideia durante o festival de publicidade Cannes Lions, realizado na França no final de maio.

"Estávamos comemorando os leões da Ogilvy Brasil e da argentina. Não sei se estávamos bêbados, mas falamos, no meio do tapete vermelho: ‘e se a gente tivesse a ideia louca de criar uma agência para trabalharmos todos juntos’", conta Musa.

Podia ter sido só um devaneio de Cannes. Mas os três levaram a ideia adiante e apresentaram para Amado. No dia seguinte, os publicitários seguiram para Miami para explicar o plano ao CEO da Ogilvy Latina, Marcos Golfari. "Quando mostramos o projeto e falamos que se chamaria ‘David’ não tinha mais o que dizer", lembra Musa. "A combinação de criação de Argentina e Brasil é uma mistura espetacular (...), como Neymar e Messi no mesmo time", disse Golfari.

Caça-talentos

A David quer formar um time de cerca de 40 pessoas até março do ano que vem. E, como se propõe a oferecer soluções globais, busca profissionais de todo o mundo. Uma das primeiras contratações foi a diretora de planejamento, Nazia Du Bois, que nasceu em Bangladesh.

Os executivos Musa, Ramos e Bigio ficarão à frente da David, mas manterão seus cargos na Ogilvy. Para eles, a David é mais uma oportunidade para o grupo de atração de talentos. "Publicidade são pessoas", diz Musa.

Tudo o que sabemos sobre:
propagandapublicidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.