Grupo Saudita planeja mais investimentos no Brasil

O príncipe saudita Khaled bin Alwaleed, presidente da holding KBW, deve anunciar uma série de investimentos durante uma visita ao Brasil. De acordo com comunicado divulgado pelo grupo, a KBW está envolvida em projetos que somam mais de R$ 1 bilhão no Brasil e a sede da companhia no País será instalada em Santa Catarina.

LUCAS HIRATA, Agencia Estado

29 de outubro de 2013 | 10h17

Os primeiros Estados contemplados com os aportes da holding serão Espírito Santo e Ceará, em projetos de longo prazo, principalmente nas áreas de Infraestrutura, óleo e gás, mineração, construção e logística.

"O Brasil é um mercado atraente, tem uma crescente demanda em seu mercado interno e oferece grandes oportunidades nas áreas de infraestrutura, petróleo e construção. Além disso, Brasil e Arábia Saudita vêm estreitando suas relações comerciais, em especial na área de óleo e gás, o que ficou mais evidente nos últimos anos", afirmou o príncipe Khaled bin Alwaleed.

Durante a visita ao Brasil, o príncipe Khaled terá um encontro com o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, e com o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo. O presidente da KBW também deve participar de uma audiência sobre o Programa Invest in Santa Catarina, que visa a atração de investimento estrangeiro direto, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

Atualmente, o maior investimento da KBW é o PetroCity, complexo portuário na cidade de São Mateus, no Estado de Espírito Santo. "Trata-se de um projeto único no mundo, com 1,5 milhão de metros quadrados de área inicial (o equivalente ao Parque do Ibirapuera, em São Paulo), aliando tecnologia diferenciada, responsabilidade socioambiental, investimento na formação de colaboradores e localização estratégica, tudo com foco no setor de óleo e gás", segundo o comunicado.

"O PetroCity fica perto da maior área de produção e no meio da costa do Brasil, em uma região de muita demanda por causa do pré-Sal, mas que não era atendida de forma especializada", explicou o diretor geral do complexo portuário, José Roberto Barbosa da Silva. O comunicado afirma também que o PetroCity terá monitoramento de carga em tempo integral, operação 24 horas por dia, 7 dias por semana, além de parceria com a Universidade de Vila Velha para qualificação de mão-de-obra e tanques especiais para proteção da flora e da fauna marinha.

A KBW também tem participação na Royal Minerals, mineradora no Espírito Santo que deve começar a operar em novembro de 2013, após os últimos atos de registros legais, segundo a empresa. Outro ativo do grupo é a Raimundi Cranes, uma fábrica de gruas para construção no Ceará. De acordo com a KBW, a Raimundi Cranes já entregou mais de 15 mil unidades desde a sua aquisição, em 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
KBWinvestimentosBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.