Há abertura de vagas, mas não em ritmo para atender demanda, diz IBGE

De acordo com especialista, embora o mercado esteja favorável, não há no momento uma velocidade na abertura de vagas que possa abarcar o volume de pessoas desocupadas

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

26 de maio de 2011 | 11h27

A "estabilidade" na taxa de desemprego de março para abril deve-se a um ritmo menos intenso de abertura de postos de trabalho quando comparado ao movimento de pessoas procurando emprego no mercado. A avaliação é do gerente da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), Cimar Azeredo. Nesta quinta-feira, 26, o IBGE anunciou a taxa de desemprego do mês passado, que passou de 6,5% para 6,4% de março para abril.

Em abril, o IBGE apurou um montante de população desocupada, ou seja, procurando emprego, de 1,5 milhão de pessoas. De acordo com o especialista, embora o mercado de trabalho esteja favorável, não há no momento uma velocidade na abertura de vagas que possa abarcar este volume de pessoas da população desocupada. "Temos abertura de vagas. Mas não temos um ritmo de criação de postos de trabalho suficiente para atender esta demanda de 1,5 milhão de pessoas. Por isso, este volume se manteve", resumiu o economista.

Tudo o que sabemos sobre:
desempregovagasIBGEemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.