Harley-Davidson de 'Sem destino' é vendida por R$ 3,3 milhões

Harley-Davidson de 'Sem destino' é vendida por R$ 3,3 milhões

Casa de leilões garante que se trata da 'Capitão América' usada por Peter Fonda em 1969, mas há outras parecidas no mercado e ainda existem dúvidas sobre o destino na moto de 'Easy Rider'

Associated Press

20 de outubro de 2014 | 10h10



CALABASAS, Califórnia - Uma motocicleta que supostamente foi usada no filme 'Sem destino' ('Easy Rider'), de 1969, foi vendida por US$ 1,35 milhão nos Estados Unidos. O valor equivale a R$ 3,3 milhões.

A casa de leilões 'Profiles in History' não identificou o comprador que fez a oferta ganhadora pela moto chamada 'Capitão América'.

Os interessados travaram uma batalha acirrada de ofertas pela Harley-Davidson, afirmou a representante da casa de leilões, Sabrina Propper. 

A autenticidade da moto ainda está envolta em interrogações antes da venda, pois ninguém sabe ao certo o destino da verdadeira Harley pintada nas cores da bandeira americana. A moto leiloada tem um certificado de origem, segundo a casa de leilões.

Para as filmagens, foram fabricados vários modelos da mesma motocicleta, mas segundo o catálogo do leilão, a que foi vendida é a única que sobreviveu.

De acordo com o catálogo, a moto foi usada na cena principal do filme, quando a moto explode após o personagem interpretado por Peter Fonda ser atingido por um tiro. A moto foi restaurada por Dan Haggerty, que teve uma pequena participação no filme e garante sua autenticidade.

Peter Fonda, que interpretou o papel de Wyatt e usou a moto, também disse que ela é autêntica, segundo a casa de leilões.

O vendedor, Michael Eisenberg, conta com uma carta do Museu Nacional da Motocicleta de Anamosa, em  Iowa, onde a Harley foi exibida 12 anos. O documento diz que a moto de Eisenberg é a única que restou entre os modelos semelhantes preparados para o filme.

Um colecionador do Texas, Gordon Granger, sustenta ser proprietário da verdadeira Harley Capitão América de Sem Destino, e também tem um certificado firmado por Haggerty. 

Haggerty reconheceu esta semana ao jornal Los Angeles Times que autenticou e vendeu duas motocicletas Capitán América. 

Agora Haggerty diz que só uma delas é autêntica, a de Eisenberg, vendida no sábado. Peter Fonda foi procurado e disse não ter ideia de qual das motocicletas é a verdadeira.

"Algo está errado nessa história", disse o ator de 74 anos ao jornal da Califórnia.


Polêmica. Eisenberg, um agente de vendas de objetos de colecionadores de Los Angeles, também colecionador de recordações de Hollywood, comprou a moto vendida neste fim de semana no início deste ano de John Parham, um empresário de peças de motocicleta que por sua vez comprou a moto de Haggerty há 12 anos.

Haggerty não negou haver assinado o documento de autenticação da moto vendida para Granger. Agora ele afirma que assinou algo que não era verdadeiro.

"Foi um erro", disse Haggerty. "Aquela não era a verdadeira moto do filme". Granger, furioso diante do leilão desta semana, insiste que é o dono da moto genuína.

"Sabem que tenho a motocicleta verdadeira", afirmou. "Tenho a genuína Capitão América, a que foi leiloada agora é uma réplica". Pelo visto, o destino da verdadeira Harley de Easy Rider vai continuar incerto.

Tudo o que sabemos sobre:
Harley DavidsonSem destinoPeter Fonda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.