Paulo Whitaker/Reuters - 18/5/2021
Paulo Whitaker/Reuters - 18/5/2021

Heineken deve reajustar preço da cerveja em todo o mundo mesmo com alta das vendas

Pressão inflacionária, principalmente nos custos relacionados à energia e ao frete, pode fazer com que as despesas da cervejaria cresçam 15% em 2022

André Jankavski*, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2022 | 16h27

Apesar do crescimento tanto no Brasil quanto globalmente no quarto trimestre do ano passado, a Heineken se prepara para um novo aumento de preços em todo o mundo por causa da inflação. Em seu relatório aos investidores, a empresa demonstrou preocupação com a pressão dos custos, especialmente na sua cadeia de suprimentos.

“Compensaremos esses aumentos de custos por meio de um crescimento dos preços absolutos, o que pode levar a uma redução no consumo de cerveja”, disse a empresa. A Heineken aponta pressão inflacionária em itens como energia e o frete, causado pela alta de commodities como o petróleo

Uma das projeções da companhia é que haja um crescimento de custos a cada 100 litros de cerveja na faixa de 15%. Esse tipo de impacto foi visto nos números relacionados ao terceiro trimestre de 2021, quando houve uma redução de 5,1% no volume de cervejas vendidas em todo o mundo. 

Porém, houve uma recuperação no quarto trimestre do ano passado, o que ajudou a empresa a fechar o ano de 2021 com um lucro na casa dos 3,3 bilhões de euros, enquanto os ganhos esperados pelo mercado eram algo na ordem de 2,3 bilhões de euros.

A receita da segunda maior cervejeira do mundo, atrás apenas da AB InBev, saltou 11,3% na mesma base comparativa, a 21,941 bilhões de euros.

A operação brasileira, apesar de ter trazido um impacto negativo na lucratividade devido à desvalorização do real frente ao dólar, tem apresentado bons resultados. No quarto trimestre, a Heineken reportou um crescimento 10% no volume de cerveja vendida. A companhia disse ter se consolidado na liderança do segmento premium, impulsionada pelas marcas Heineken e Eisenbahn. /COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.