Hitachi pretende investir US$ 300 mi no Brasil até 2015

O presidente da Hitachi Brasil, Hiroaki Nakanishi, anunciou nesta quarta-feira que a empresa pretende investir US$ 300 milhões no Brasil até 2015. O comunicado foi feito em entrevista à imprensa, após reunião de 30 minutos no gabinete do presidente da República em exercício, Michel Temer.

RAFAEL MORAES MOURA, Agencia Estado

25 de julho de 2012 | 17h50

"Tivemos uma conversa criativa com o presidente (Temer) e demonstramos nossas intenções firmes de estender todos os nossos negócios no Brasil em diferentes tipos de atividades", afirmou Nakanishi. "Eu me sinto muito estimulado a investir no Brasil".

De acordo com Nakanishi, alguns dos planos ainda não estão claros, mas ele destacou as áreas de transporte - ferrovias, monotrilhos, metrô - como promissoras. "O nosso entendimento é o de que o Brasil possui várias atividades em infraestrutura social. O primeiro alvo na área de transporte é São Paulo", disse Nakanishi, lembrando que a empresa também conta com operações em Manaus.

Segundo a Agência Estado apurou, Temer demonstrou otimismo com o desempenho da economia brasileira, enfatizando que o País conta com fundamentos sólidos para atrair investimentos. Os japoneses, por sua vez, teriam sinalizado interesse em participar do projeto do Trem de Alta Velocidade (TAV) que deverá ligar Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro. A Hitachi emprega atualmente mil pessoas, número que poderia ser triplicado ou até quadruplicado com os novos investimentos, segundo Nakanishi.

Questionado se não estava otimismo demais com a economia brasileira, Nakanishi respondeu, aos risos: "Eu não me importo com isso. O Brasil tem regras muito rígidas, essa é a minha crença." De acordo com a página oficial da empresa no Brasil, a Hitachi já forneceu para o Brasil turbinas hidráulicas, geradores e transformadores, além de trens e locomotivas para cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Comunicado oficial da empresa divulgado nesta quarta-feira diz que a Hitachi aumentará as vendas em equipamentos de ar-condicionado, maquinário de construção e outros negócios, colaborar com parceiros locais e tomar "outras ações para expandir os negócios e operações no Brasil". "O grupo Hitachi vai contribuir para o desenvolvimento do Brasil e a criação de uma sociedade mais sustentável", encerra o comunicado.

Tudo o que sabemos sobre:
HitachiBrasilinvestimentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.