Holding Espirito Santo International pede proteção contra credores

"A ESI atualmente não pode cumprir suas obrigações de dívida, uma porção material dela venceu", afirmou em comunicado a companhia

REUTERS

18 de julho de 2014 | 17h25

A Espirito Santo International (ESI), holding do clã financeiro português em dificuldades financeiras, fez pedido à Justiça de Luxemburgo de proteção contra credores nesta sexta-feira, três dias depois da Rioforte, controlada pela empresa, ter dado calote em uma dívida de mais de 1 bilhão dólares.

"A ESI atualmente não pode cumprir suas obrigações de dívida, uma porção material dela venceu", afirmou em comunicado a companhia registrada em Luxemburgo, acrescentado que se seu pedido for aceito, todas as ações de credores serão suspensas.

A ESI é uma holding próxima do topo da complexa estrutura societária do império da família Espírito Santo. Fontes afirmaram à Reuters nesta semana que a Rioforte estava se preparando para um pedido de proteção contra credores e não ficou claro ainda se uma requisição separada de concordata será necessária.

A ESI detém 100 por cento da Rioforte, cujo calote da dívida devida à Portugal Telecom disparou uma crise na planejada fusão da operadora portuguesa com sua parceira brasileira Oi.

(Por Andrei Khalip)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASESPIRITOCONCORDATA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.