HP acusa empresa que adquiriu de fraude contábil

A Hewlett-Packard acusou na terça-feira (20) a empresa de software britânica Autonomy, que havia adquirido no ano passado por mais de US$ 10 bilhões, de fraudes sérias que a levaram a dar uma baixa contábil de US$ 8,8 bilhões. Segundo a HP, a Autonomy deu informações errôneas sobre seu desempenho quando a aquisição estava sendo negociada.

RENATO MARTINS, Agencia Estado

21 de novembro de 2012 | 14h21

A HP acusou a Autonomy de "impropriedades contábeis sérias, omissões de informações e dados deliberadamente falsos". A insatisfação dos investidores com o processo de aquisição da Autonomy já havia levado a HP a afastar seu executivo-chefe, Leo Apotheker, em setembro deste ano. Em comunicado, a HP diz que "parece ter havido um esforço deliberado de certos ex-funcionários da Autonomy para inflar as métricas financeiras subjacentes da companhia, de modo a orientar erroneamente os investidores e potenciais compradores. Essas falsificações e falta de divulgação de informações afetaram seriamente a capacidade da HP para avaliar justamente o valor da Autonomy na época da aquisição".

A atual executiva-chefe da HP, Meg Whitman, disse que a empresa comunicou o caso à Securities and Exchange Comission (SEC, o órgão regulador do mercado de capitais nos EUA) e também à autoridade britânica de combate a fraudes. "pedimos às duas agências que abram investigações cíveis e criminais sobre esse assunto".

O anúncio das acusações, feito junto com a divulgação do informe de resultados da Hewlett-Packard em seu quarto trimestre fiscal (agosto/outubro), levou a uma queda forte das ações da empresa; depois de caírem 12% nesta terça, para o nível mais baixo em dez anos, operavam na tarde desta quarta em alta de 1,79%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HPacusaçãofraude

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.