HSBC pagará multa recorde de US$ 1,9 bi para encerrar investigação

Longa investigação criminal nos Estados Unidos gira em torno de uma lavagem de dinheiro na instituição britânica

Reuters,

11 de dezembro de 2012 | 08h04

O HSBC Holdings aceitou desembolsar US$ 1,92 bilhão - a maior multa já paga por um banco - para encerrar uma longa investigação criminal nos Estados Unidos sobre erros envolvendo lavagem de dinheiro na instituição britânica.

O HSBC admitiu a quebra de controles e se desculpou em um comunicado nesta terça-feira, anunciando que chegou a um acordo com o Departamento de Justiça dos EUA, conforme antecipado pela Reuters na semana passada.

"Admitimos a responsabilidade por nossos erros passados. Temos afirmado que sentimos profundamente por eles, e o fazemos novamente. O HSBC de hoje é uma organização fundamentalmente diferente daquela que cometeu tais erros", afirmou o presidente-executivo do banco, Stuart Gulliver.

"Nos últimos dois anos, sob nova liderança, estamos tomando passos concretos para corrigir o que foi feito errado e para atuar ativamente junto com autoridades do governo para esclarecer e solucionar esses problemas", acrescentou.

O HSBC disse ainda que espera chegar a um acordo também com o órgão regulador britânico (Financial Services Authority, em inglês).

Bancos norte-americanos e europeus têm agora acordos firmados com reguladores dos EUA que totalizam cerca de US$ 5 bilhões nos últimos anos, relacionados a violação de normas locais e falha em supervisionar transações ilegais.

(Por Carrick Mollenkamp e Brett Wolf)

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSHSBCMULTALEGAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.