Mariana Machado/Estadão
Mariana Machado/Estadão

Hypera compra marcas Buscopan e Buscofen por R$ 1,13 bi

Após anúncio, ações da maior farmacêutica do País registram forte alta na Bolsa

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2019 | 15h53

Após divulgar a compra dos produtos das marcas Buscopan e Buscofem, que integravam o portfólio da farmacêutica Boehringer Ingelheim, a brasileira Hypera lidera as altas da B3, a Bolsa brasileira, nesta quarta-feira, 18.

A brasileira, antes chamada de Hypermarcas, anunciou nesta quarta a aquisição da popular família de medicamentos, em um negócio de R$ 1,13 bilhão. Os investidores receberam bem a notícia, que tende a ampliar a distância da empresa para as concorrentes. Hoje, a Hypera Farma é a maior companhia farmacêutica do País. Por volta das 15h15, as ações da empresa eram negociadas a R$ 34,71, alta de 3,24%. 

Sem receita

O Buscopan é “a marca líder no segmento de antiespasmódico no Brasil, e a família Buscopan e Buscofem a segunda maior franquia no mercado de OTC no Brasil”, afirmou a Hypera, maior companhia brasileira do setor farmacêutico, referindo-se a medicamentos que não necessitam de prescrição médica.

Segundo a companhia, a aquisição faz parte da estratégia do grupo, que nos últimos anos se concentrou no segmento farmacêutico, de buscar fortalecimento no mercado de produtos que não precisam de receita.

A aquisição foi anunciada algumas semanas depois de o conselho de administração da Hypera ter aprovado emissão de R$ 800 milhões em debêntures de 6 anos. Debêntures são títulos de dívidas de renda-fixa lançadas por empresas no mercado financeiro. Os detentores desses papeis têm o compromisso de retorno do investimento, acrescido de um prêmio, geralmente fixado pelos juros DI, taxa que segue de mãos dadas com a Selic.

No final de outubro, o presidente da Hypera, Breno de Oliveira, afirmou ao ser questionado sobre eventuais aquisições, que a companhia tinha foco em crescimento orgânico, mas que a situação de endividamento da empresa era bastante confortável. / COM REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.