Ibama concede licença previa para mineroduto da Ferrous

Obra terá 4040 quilômetros de extensão e capacidade para transportar até 25 milhões de toneladas de minério de ferro por ano 

Marcelo Portela, da Agência Estado,

23 de junho de 2011 | 16h29

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) concedeu licença prévia para a Ferrous Resources do Brasil construir um mineroduto ligando a mina Viga, em Congonhas, na região central de Minas, até o porto que a empresa pretende construir em Presidente Kennedy (ES), informou nesta quinta-feira, 23, a companhia. O investimento previsto no projeto é de US$ 2,2 bilhões.

O mineroduto terá 404 quilômetros de extensão e capacidade para o transporte de 25 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. Com a licença prévia, a Ferous pode dar continuidade ao projeto e a empresa espera iniciar as obras no segundo semestre deste ano. A previsão é de que estrutura, que vai passar por 22 municípios - 17 de Minas Gerais, três do Rio de Janeiro e dois do Espírito Santo - comece a operar em 2014. "Nós mostramos uma competência diferenciada para conduzir esse projeto, o que se traduziu em vantagem competitiva. Saltamos dois anos à frente na implantação do projeto", avaliou o vice-presidente da Ferrous Brasil, André Simão, responsável pela coordenação do projeto do mineroduto.

A obra, que ainda precisa da licença de instalação para ser iniciada, integra os planos da companhia de se tornar uma das maiores produtoras de minério de ferro do mundo. Além da estrutura para transporte da commodity, a companhia também pretende desenvolver as cinco minas - incluindo Viga - que possui no Quadrilátero Ferrífero, com reservas de aproximadamente 4,5 bilhões de toneladas, e a construção de uma siderúrgica em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, além do próprio porto em Presidente Kennedy. A empresa ainda possui um ativo minerário na Bahia.

O investimento total no projeto, segundo a assessoria da empresa, será de US$ 4,3 bilhões (aproximadamente R$ 6,8 bilhões). A intenção da companhia é aumentar a produção para 50 milhões de toneladas por ano até 2016. Para isso, porém, o grupo procura desde o fim do ano passado um sócio estratégico interessado em desenvolver os projetos de mineração. Nos bastidores, a informação é de que empresas com experiência no ramo, como a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), a Vale e a Usiminas estariam entre as cotadas para a parceria, mas a Ferrous nega que haja qualquer acerto.

Tudo o que sabemos sobre:
Ferrous do BrasilminerodutoIbama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.