IBG instala fábrica no MA para abastecer Gusa Nordeste

A Indústria Brasileira de Gases (IBG) anunciou hoje a construção de uma fábrica de gases industriais em Açailândia (MA). Orçado em US$ 15 milhões, o projeto deverá entrar em operação no primeiro semestre de 2011 e será incorporado pela Gusa Nordeste. No mesmo município, a produtora de ferro-gusa tem planos para investir R$ 1,8 bilhão na construção de uma usina siderúrgica movida a carvão vegetal, também com início de operação previsto para o próximo ano.

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agencia Estado

27 de outubro de 2010 | 14h35

A nova fábrica produzirá inicialmente oxigênio, nitrogênio e argônio, de acordo com a IBG. "Esta unidade terá parte da sua produção dedicada à siderúrgica Gusa Nordeste e ao Polo Industrial de Pequiá, permitindo reduções de custos e novos negócios com as companhias locais", destacou o presidente da IBG, Newton de Oliveira, em comunicado.

O projeto da unidade foi adquirido pela Gusa Nordeste junto à Gas Engineering, parceria norte-americana da IBG especializada em projetos de especificação de plantas de gases do ar e equipamentos em geral para a indústria de gases. Segundo a IBG, os insumos a serem produzidos em Açailândia são utilizados principalmente por indústrias químicas, petroquímicas, de metalmecânica, metalúrgicas, além do setor hospitalar.

O projeto maranhense, cuja montagem será supervisionada pela IBG, é a segunda fábrica de gases industriais da companhia brasileira no Nordeste. A primeira unidade, esta a ser operada exclusivamente pela IBG, entrará em operação em Suape (PE) até o final deste ano. A IBG não forneceu informações sobre a capacidade de produção da unidade, assim como o valor da transação triangular que envolveu Gas Engineering, Gusa Nordeste e IBG.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.