IBGE estima crescimento de 9,1% na produção agrícola do ano

Diminuição de créditos não reduziu o otimismo dos produtores; Produção de grãos deve bater recorde

Agência Estado

08 Outubro 2008 | 09h13

A estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas referente a setembro indica uma produção da ordem de 145,3 milhões de toneladas em 2008, superior em 9,1% à obtida em 2007 (133,1 milhões de toneladas). A safra 2008 já está praticamente encerrada. O volume previsto em setembro é superior em 151.930 toneladas, ou 0,1%, ao previsto em agosto. O acréscimo ante a previsão anterior resultou das reavaliações nos dados das culturas de inverno, notadamente o trigo.   Em relação a área colhida, o aumento foi de 4,2% frente a área colhida de grãos em 2007, situando-se em 47,3 milhões de hectares. Dentre as culturas investigadas que ocuparam as maiores áreas em 2008, destacam-se a soja (com 21,3 milhões de hectares), o milho (14,4 milhões de ha) e o arroz (2,9 milhões de ha). O somatório das safras destes três produtos representa 89,9% da produção nacional estimada de grãos.   Em termos absolutos, regionalmente, a estimativa de produção de cereais, leguminosas e oleaginosas está assim distribuída: Região Sul (60,9 milhões de toneladas), Centro-Oeste (50,4 milhões de toneladas), Sudeste (17,6 milhões de toneladas), Nordeste (12,5 milhões de toneladas) e Norte (3,8 milhões de toneladas).   Entre os 25 produtos analisados pelo IBGE na safra 2008, segundo a estimativa de setembro, 18 apresentaram variação positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: amendoim em casca 1ª safra (38,8%), arroz em casca (9,2%), aveia em grão (14,4%), batata-inglesa 1ª safra (0,3%), batata-inglesa 2ª safra (24,1%), batata-inglesa 3ª safra (4,8%), cacau em amêndoa (3,2%), café em grão (28,3%), cana-de-açúcar (13,7%), feijão em grão 2ª safra (37,2%), feijão em grão 3ª safra (4,6%), laranja (0,4%), mamona em baga (40,5%), milho em grão 1ª safra (10,6%), milho em grão 2ª safra (18,4%), soja em grão (3,4%), sorgo em grão (38,2%) e trigo em grão (37,5%).   Foram verificadas variações negativas nos seguintes produtos: algodão herbáceo em caroço (-2,2%), amendoim em casca 2ª safra (-5,9%), cebola (-1,5%), cevada em grão (-2,8%), feijão em grão 1ª safra (-8,7%), mandioca (-1,2%) e triticale em grão (-10,0%).   Área   Em seu primeiro levantamento da safra de grãos para o período 2008/09, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que a área plantada no Brasil crescerá entre 1,2% a 2,7% em relação ao período anterior, ocupando entre 47,9 e 48,6 milhões de hectares. Esta área, divulgada hoje pela Conab, é a estimada para o plantio de algodão, amendoim, arroz, feijão, girassol, mamona, milho, soja, sorgo, aveia, centeio, cevada, trigo e triticale. Na avaliação da companhia, nem mesmo a alta dos preços dos fertilizantes ou a diminuição da oferta de créditos reduziram o otimismo dos produtores na hora de plantar.   Com este crescimento, a produção de grãos deverá bater outro recorde histórico, se confirmado o intervalo superior. A projeção é de 142,03 (-1,2% em relação à safra passada) a 144,55 milhões de toneladas (+ 0,5%). A produção anterior foi finalizada em 143,8 milhões de t. Segundo o presidente da estatal, Wagner Rossi, o comportamento dos preços das commodities agrícolas têm mantido o interesse do agricultor pelos grãos. "Apesar da queda dos preços e do aumento dos custos de produção, o agricultor eficiente ainda vislumbra a possibilidade de bons resultados. Isso mantém uma nova esperança", completa.   O estudo também aponta duas culturas como as apostas dos produtores neste início de plantio. O feijão primeira safra deve ter um crescimento de área variando entre 8,6% e 11,6%, ou 1,43 a 1,47 milhões de hectares no total. Com isso, a colheita deverá ficar entre 1,39 e 1,43 milhão t. Já as terras destinadas à soja devem aumentar entre 1,3% e 3,2%, ocupando entre 21,59 e 22,00 milhões de hectares. A produção deve ficar em 60,1 milhões e 61,3 milhões de t.   Clima   A Conab também analisou a interferência do clima sobre a plantação neste último trimestre. No Sudeste e em alguns estados do Norte e Centro-Oeste, as precipitações pluviométricas devem ficar entre normal e acima da média histórica. Na região Sul, a previsão é de chuvas um pouco abaixo da média, mas sem prejuízos significativos para as culturas de inverno e verão. Nas demais áreas do país, as chuvas devem ficar em torno da média histórica.   Para realizar esta pesquisa, a estatal apurou dados referentes às culturas de inverno (trigo, triticale, aveia, centeio e cevada) e às lavouras de milho, feijão e amendoim (primeiras safras), algodão, arroz e soja, nos estados do Centro-Sul. Nas outras regiões, onde o plantio começa a partir de janeiro/09, foram mantidas as áreas da safra anterior. Nestas localidades, a produtividade foi calculada considerando as médias dos últimos cinco anos, tirando os anos atípicos e somando o ganho tecnológico.   Insumos   A partir de dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda), a Conab avalia que, até o final do ano, serão comercializados 26,50 milhões de toneladas de fertilizantes, crescimento de 7,7% em relação ao ano passado. Só de janeiro a agosto, os produtores compraram 16 milhões de t.   Já o mercado interno de máquinas agrícolas vendeu 35,5 mil unidades até agosto. A previsão é de que, até dezembro, este número chegue a 46 mil máquinas ou 20,7% a mais que em 2007.

Mais conteúdo sobre:
SafraConab

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.