IBGE: quadro para mercado de trabalho é melhor do que em 2003

Rio, 26 - O gerente da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, Cimar Azeredo Pereira, disse que os dados do mercado de trabalho em julho são "extremamente positivos" porque revelam queda da taxa de desemprego pelo terceiro mês consecutivo, aumento no número de trabalhadores com carteira assinada e crescimento do rendimento. "Em relação a 2003, o quadro é muito mais favorável para o mercado de trabalho", disse. A taxa de desemprego caiu para 11,2%, ante 11,7% em junho e 12,8% em julho do ano passado. Pereira sublinhou que, ao contrário do que ocorreu em 2003, quando a taxa de desemprego apresentou um comportamento atípico e só começou a cair em outubro - historicamente, a queda tem início em junho ou julho -, neste ano os recuos começaram desde maio. "No momento em que os investidores começam a ver uma perspectiva de maior prazo, isso se reflete em números mais positivos no mercado de trabalho", disse. O número de trabalhadores com carteira assinada aumentou 0,4% em julho ante junho e 2,4% ante julho do ano passado. Ainda que o número dos empregados sem carteira também tenha crescido (9,6%) ante julho de 2003, Pereira avalia que o aumento da formalidade é um dado muito positivo. "Quando começa a crescer o emprego com carteira, vemos que o cenário é muito favorável, porque os custos da contratação formal são altos e ela só ocorre quando há perspectiva de longo prazo", afirmou. O rendimento médio real dos trabalhadores aumentou 0,6% em julho ante junho e 2% ante igual mês do ano passado. Segundo Pereira, o aumento da renda ocorreu por causa da queda na taxa de inflação e também por causa do crescimento do emprego formal, já que os empregos com carteira assinada costumam registrar os melhores salários. (Jacqueline Farid)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.