Idealizador da grife Iodice fala sobre exportações no aquecimento para a Feira do Empreendedor

Valdemar Iódice relatou suas experiências no mercado da moda norte-americano e destacou a importância da inovação

Estadão PME, O Estado de S. Paulo

03 Fevereiro 2015 | 14h23

O entrevistado desta terça-feira (3) na semana de aquecimento para a Feira do Empreendedor do Sebrae foi Valdemar Iódice, idealizador da confecção que carrega seu sobrenome. Formado em ciências contábeis, o empresário começou sua carreira na moda com uma pequena confecção de meias e hoje, encontrou o público jovem como seu nicho de mercado e hoje tem 16 lojas espalhadas pelas regiões sul, sudeste e nordeste do Brasil.

Consolidado no mercado nacional, Iódice já se arriscou no mercado de exportações e assegura: é preciso vender para o exterior aquilo que o Brasil faz de melhor. "Eu já exportei muito, já tive mais de 150 pontos de venda nos Estados Unidos. O Brasil tem uma vantagem quando exporta cores, estamparia, beach wear. Quando o empresário quer exportar jeans, ele está morto", relata.

"Se produzimos algo inovador com preço competitivo,temos espaço lá fora sim, mas é muito pequeno. Quando você encontra um nicho de mercado em que não tem muita concorrência, você tem sucesso. Quando eu exportava, fazia determinadas coleções para isso. É uma questão de análise de mercado", reforça o empresário.

Iódice ressaltou que, apesar dos indicadores econômicos desfavoráveis, há espaço para empreender desde a capacidade de inovação esteja presente. "Não basta ser apenas designer, é preciso inovar dentro de um nicho de mercado que tenha possibilidade de crescimento. Analisando o consumidor, o concorrente, preços. Eu já tenho minha clientela, então fica mais fácil trabalhar, mas para quem está começando é preciso entender bem onde vai entrar."

O aquecimento para a Feira do Empreendedor é uma parceria entre o Estadão PME e o Sebrae-SP. As entrevistas são transmitidas diariamente às 13h pela 'TV Estadão'.

Mais conteúdo sobre:
SebraeEmpreendedorismoNegócios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.