Impacto de venda de ativos na Oi chegará em R$ 550 mi

A operadora de telefonia Oi informou que a recente venda de ativos deverá gerar um impacto de aproximadamente R$ 550 milhões no Ebitda de 2014, de acordo com informações do relatório de administração que acompanha o balanço. Entre as vendas de ativos não estratégicos estão 1,2 mil torres de telefonia móvel e do direito de uso sobre aproximadamente 6,3 mil torres de telefonia fixa, além da venda da empresa de cabos submarinos GlobeNet.

RODRIGO PETRY, Agencia Estado

14 de agosto de 2013 | 08h24

A empresa explicou que o objetivo dessas vendas foi "monetizar" ativos que não são essenciais para as atividades operacionais da companhia. A empresa disse que irá contratar os respectivos serviços em condições financeiras mais favoráveis. "Vale destacar que o custo que essas operações representam para a Oi entre 8% e 9% (incluindo custos, despesas, investimentos e efeitos tributários) é inferior ao seu custo médio de captação, o que demonstra a disciplina financeira da companhia", afirmou.

A operadora acrescentou que as operações vão gerar custos adicionais de aluguel, o que naturalmente deixará de contar com eventuais receitas provenientes desses ativos. Por outro lado, economizará em investimentos e em custos de manutenção relativos. E lembra que, após a conclusão dessas operações, os resultados futuros passarão a ser afetados pelos impactos, líquidos de efeitos tributários.

Tudo o que sabemos sobre:
Oibalanço2º trimestrevenda ativos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.