Importação de veículos deve ter leve recuperação no segundo semestre

Abeiva revisou estimativa de vendas em 2013 para baixo e afirma que alta do dólar fez maior estrago para o setor no ano passado

Carla Araújo, Agência Estado

23 de julho de 2013 | 15h40

Após registrar queda de 23% nas vendas de veículos e comerciais leves importados no acumulado do primeiro semestre ante igual período de 2012, a Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) prevê que o segundo semestre do ano apresentará uma leve recuperação. "Mas recuperação não quer dizer que vai ser bom", ressalvou o presidente da entidade, Flávio Padovan.

Segundo o executivo, preocupações com o aumento da inflação e um nível mais elevado do dólar influenciam as perspectivas. "No início do ano, imaginávamos fechar 2013 com vendas de 150 mil unidades", afirmou. "Já fizemos uma reavaliação e agora estamos estimando algo em torno de 120 mil, mas vai depender muito do desempenho do segundo semestre."

De acordo com Padovan, o "maior estrago" do dólar ocorreu no ano passado, quando a cotação da moeda americana saiu da faixa de R$ 1,70 para mais de R$ 2. "Não vamos dizer que não atrapalha", reforçou. A entidade informou que os números de julho devem ficar em torno de 10 mil unidades emplacadas e espera que essa média se mantenha nos próximos meses. Em junho, segundo dados da Abeiva, foram emplacados 9.606 veículos ante 9.586 em maio. "Precisamos manter a média em torno de 10 mil veículos para alcançarmos a estimativa de 120 mil", disse.

Segundo Padovan, a queda nas vendas este ano ainda reflete o aumento do IPI para veículos importados anunciado pelo governo no fim de 2011. "O primeiro semestre do ano passado ainda foi forte por conta das unidades sem IPI", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.