Imprensa discute desafios no Congresso Mundial de Jornais na Tailândia

Entre as discussões, estão a queda de receita, o aumento da participação da mídia digital e a liberdade de imprensa

EFE,

05 de junho de 2013 | 09h38

Os líderes da imprensa mundial estão reunidos na Tailândia, no Congresso Mundial de Jornais, para discutir os rumos do jornalismo. Na agenda desta terça-feira, 3, houve discussões sobre a queda de receita, o aumento da participação da mídia digital e a liberdade de imprensa.

Cerca de mil editores de jornais e representantes de Publicações estão na conferência que realizada em um hotel na capital da Tailândia, Bankoc, até 5 de junho. O evento coincide com o 65 º aniversário da criação da Diário World Congress, organizado pela Associação Mundial de Jornais e Publishers (WAN-IFRA).

A conferência começou com mesas-redondas em que os participantes concordaram que os jornais precisam investir nos sites e disponibilizar versões para tablets e telefones celulares.

Segundo o diretor executivo da seção publicações da WAN-IFRA digital, Stig Nordqvist, o consumo de notícias pelo telefone celular em breve será tão grande como é o de computadores. Já a circulação do jornal e a publicidade nesse meio continuam a diminuir em mercados maduros.

Para Nordqvist, o negócio digital deve lutar para permanecer viável e tentar desenvolver produtos digitais que gerem renda.

O presidente da Associação Mundial Jornal, Jacob Mathew, felicitou os jornalistas da Birmânia (Myanmar) por terem conseguido alcançar uma liberdade de imprensa, após quase meio século tendo vivido sob uma ditadura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.